domingo, 23 de julho de 2017

A PRIMOGÊNITA

(FIRSTBORN)
Inglaterra - 2016
Dir.: Nirpal Bhogal


Filme chatinho sobre um casal que descobre que a filha pode estar sendo atacada por alguma entidade maligna, mas, felizmente, o avô é entendido dos assuntos do oculto e tenta ajudar o casal e sua cria.
Não tem nada de novo, e o ritmo é meio devagar.

domingo, 16 de julho de 2017

HELL HOUSE LLC

(HELL HOUSE LLC)
EUA - 2015
Dir.: Stephen Cognetti


Mais um mocumentário...
Agora sobre uma casa mal assombrada de mentirinha, montada para assustar as pessoas no Halloween, por um grupo especialista no assunto.
Só que dessa vez eles escolheram um hotel abandonado com um passado misterioso que eles desconheciam.
A medida que eles vão instalando câmeras e equipamentos para assustar os visitantes, vão percebendo coisas que mudam de lugar, manequins que mudam de posição, etc, mas tudo é encarado como fruto da imaginação.
Até que chega a noite de abertura...
Anos depois, uma equipe decide fazer um documentário sobre a casa/hotel e os fatos, incluindo vídeos realizados dentro e da casa e não entregues a polícia na época, e que esclarecem o que causou o massacre acontecido no lugar.
Mediano, tem até uma sequência legal envolvendo palhaços.

domingo, 9 de julho de 2017

MAN VS.

(MAN VS.)
Canadá - 2015
Dir.: Adam Massey


Apresentador de programas de aventuras é deixado no meio de uma floresta com uma câmera e um saco de dormir pra sobreviver e documentar sua dura vida no lugar.
Até que acontece alguma coisa, como a queda de um meteoro ou coisa parecida, e o sujeito começar a perceber que algum tipo de animal está lhe rondando...
É uma espécie de "Predador" mais pobre e com um protagonista dialogando e contracenando com uma câmera de mão durante parte do filme, embora não seja totalmente realizado em primeira pessoa.
Não é ruim, até dá pra passar o tempo, embora o alienígena em CGI seja um tanto tosco demais.

domingo, 2 de julho de 2017

DE POEL

(DE POEL)
Holanda - 2014
Dir.: Chris W. Mitchell


Terror interessante sobre um grupo que vai acampar à beira de um lago - casal e dois filhos adolescentes, e mais um amigo e a filha - e começam a observar fenômenos estranhos como a comida apodrecer durante a noite, e mudança de comportamento, além do que parecem ser delírios.
Até que acontece uma morte e a coisa degringola de vez.
O fato gerador é mantido obscuro - aparentemente uma alma de moça afogada no tal lado, no passado, e isso acaba sendo funcional, porque não entrega de bandeja o que está por trás do mistério do lugar.
É um terror mais climático do que terror explícito. Não é genial, mas é curioso e vindo de um país pouco comum no gênero.

domingo, 25 de junho de 2017

CHUNG OI

(CHUNG OI)
Hong Kong - 2007
Dir.: Danny Pang



Danny Pang acompanhado ou não de seu irmão, Oxide, é veterano do terror oriental.
Esse aqui tem a mesma estética dos filmes da dupla e aquele terror meio lento que é comum no terror daquelas bandas.
É um filme interessante, mas que precisa de certa paciência por causa de sua lentidão, embora não seja confuso como os da região habitualmente são.
Com a mulher às voltas com um câncer terminal, Ming começa em um novo emprego, aonde reencontra uma ex colega de escola de quem se torna amante.
Só que a mulher começa a melhorar, enquanto estranhas manifestações começam a afetar o casal, em uma tensão crescente.
Deve ser um dos raros filmes orientais a usar a necrofilia em sua trama.

domingo, 18 de junho de 2017

EFEITOS COLATERAIS

(BIEFFEKTERNA)
Suécia - 2016
Dir.: Andreas Climent / André Hedetoft


SCI FI bem fraquinha vindo das terras geladas da Escandinávia sobre três jovens - um casal e uma mocinha - que fazem experiências genéticas e descobrem que o câncer do rapaz voltou.
Eles decidem injetar a droga que pesquisavam no sujeito, sem qualquer teste antes, e esse se recupera e começa a demonstrar que algo mudou em seu corpo, se tornando mais forte e um tanto descontrolado também.
Os três parece que saíram do segundo grau e já fazem pesquisas super avançadas - por aí dá pra ver o que nos espera. Incrível que precisaram de duas cabeças pra dirigir isso.

domingo, 11 de junho de 2017

METAMORPHOSIS - MUTAÇÃO ALIENÍGENA

(METAMORPHOSIS: THE ALIEN FACTOR)
EUA - 1990
Dir.: Glenn Takakjian


Bagaceira dos anos 80.
Cientista realizando experiências com DNA alienígena é mordido por um sapo muito feio e mal feito, e entra em mutação e é mantido no laboratório, que deveria ser de segurança máxima.
Enquanto isso, duas adolescentes tentam descobrir o que aconteceu com o pai, que também trabalhava no lugar e sumiu e conseguem invadir o laboratório.
O filme é posterior ao clássico "The Thing", então dá pra ver ecos da metamoforse dos personagens daquele filme nesse aqui.
É cheio de defeitos: o cara fica numa cama de hospital enquanto se transforma numa massa disforme e é observado por dois cientistas que nem parecem estar se preocupando muito com o estado do colega; as duas adolescentes invadem o local com uma facilidade que só vendo; e o laboratório, talvez por economia na contratação de figurantes, é praticamente um deserto.
Ah sim, o tal sapo continuou solto, mesmo depois do que aconteceu, e pelo menos rendeu uma cena bem feitinha de stop motion no fim.

domingo, 4 de junho de 2017

PELES

(PIELES)
Espanha - 2017
Dir.: Eduardo Casanova


Drama esquisitíssimo que se vale de elementos de terror, no caso doenças e deformações, para contar as histórias de seus tristes personagens.
Tem um casal aonde a mulher (Macarena Gómez, de "Dagon") tem uma deformação facial e é casada com um homem desfigurado por queimaduras, sendo que ela mantém um caso com um sujeito "normal", mas que é atraído por pessoas disformes; uma anã que sonha em ser mãe; uma prostituta sem olhos; e outra cujo ânus fica na boca e vice e versa.
O diretor trata com respeito suas bizarras criações e os apresenta em roupas e cenários em tons de rosa, como a reforçar seus dramas em contraste com os sonhos de um vida cor de rosa, que é o que qualquer um almeja.
É bizarro, embora esteja longe de ser um filme de terror.

sábado, 27 de maio de 2017

SICCÎN

(SICCÎN)
Turquia - 2014
Dir.: Alper Mestçi


Mais um exemplo legal do terror turco.
Mulher faz uma macumba muçulmana para matar a família do amante.
O ebó inclui escrever ofensas ao Corão na perna de um defunto fresco, mas alguma coisa pode ter dado errado pois ela também parece sofrer as consequências do ato.
Tem aquela certa histeria do terror da Turquia e também a tradicional recorrência à lendas e criaturas do folclore muçulmano (no terror turco não há psicopatas, ET's e outras figuras habituais no terror ocidental, ou fantasmas, como o oriental), mas ainda assim é criativo, num certo reciclar de conceitos de seu cinema fantástico.
O diretor é responsável pelo muito interessante "Musallat".

domingo, 21 de maio de 2017

DARKEST DAY


(DARKEST DAY)
Inglaterra - 2015
Dir.: Dan Rickard


Esse aqui devia ser processado por plágio. Vejamos:
Homem acorda numa praia e descobre que a humanidade, ou pelo menos Londres, foi tomada por um vírus que deixa todos enfurecidos e atacando até a morte os não infectados ("Extermínio" e "Walking Dead" começam assim).
Aí ele encontra um grupo e se trancam numa casa, até decidirem ir para a casa no campo de um parente de um deles ("Extermínio" de novo), mas o sujeito é caçado pelo exército sem saber porque (o também inglês "Retreat" tem temática parecida) e no caminho eles têm que enfrentar os infectados, inclusive usando uma espada...
Totalmente descartável,

domingo, 14 de maio de 2017

ILHA DOS MORTOS

(ISLE OF THE DEAD)
EUA - 2016
Dir.: Nick Leon


Filme de zumbis que é a cara da ASYLUM.
Grupo de militares chega a uma ilha deserta no pacífico para combater uma praga de zumbis que se propagou a partir de uma experiência fracassada com armas químicas realizadas por um cientista doidão.
Pra complicar, ainda tem uns zumbis extra classe, que pensam e são mais fortes que a média.
Como nos filmes do gênero, é tudo muito rápido e explicadinho. Tem uma zumbi cuja maquiagem faria feio no programa Face Off, zumbis de olhos brancos e uma certa referência - parece mais uma refilmagem meio mal disfarçada - do clássico "Day Of The Dead", de George Romero, já que o tal cientista consegue controlar os mortos vivos, colocando-os a seus serviços.

domingo, 7 de maio de 2017

TRANSFER

(TRANSFER)
Alemanha - 2010
Dir.: Damir Lukacevic


Mistura de drama, drama existencial e crítica social embalados em uma premissa de ficção científica.
Casal de velhos "compra" um casal mais jovem para poder viver por três meses nos corpos desses, que teriam apenas 4 horas, nos momentos de sono dos coroas, para poderem viver suas vidas - esse casal não se conhece anteriormente.
Tudo corre bem, e os 2 velhinhos tem a oportunidade de reviverem tudo o que ficou para trás com a velhice, com um detalhe: eles agora são negros, o que causa estranheza a seus amigos.
Aí vem a parte drama do filme: o casal de negros vem de áreas miseráveis da África, e tinham como objetivo usar a grana recebida para ajudar suas famílias; agora eles são jovens em meio a velhos; são ricos em uma sociedade que ainda vê negros ricos com certa estranheza e desconfiança; e seus verdadeiros "eus" não estão totalmente adormecidos dentro de seus corpos comandados pela consciência dos outros 2.
Pra complicar, o ser humano é engenhoso e as 4 consciências logo conseguem um meio de interagir entre si, questionando a validade de tudo aquilo.
O filme ganhou um remake by USA: "Self/Less", em 2015.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

GALÁXIA DOS HORRORES

(GALAXY OF HORRORS)
Canadá - 2017
Dir.: Dennis Cabella / Javier Chillon / Todd Cobery / Andrew Desmond / Benni Diez / Marcello Ercole / Richard Karpalla / Justin MacConnell / Antonio Padovan / Fabio Prati / Ethan Shaftel / Marinko Spahic


Terror e sci-fi em episódios.
Um astronauta é acordado de seu sono criogênico por uma falha na nave aonde está, e obrigado a assistir diversos filmes de terror e ficção, enquanto os sistemas que o mantém vivo vão entrando em colapso.
Como em todo filme do gênero, o resultado é mediano embora aqui todos os episódios sejam bem produzidos.
Os melhores são o último, Kingz, aonde uma dupla vai vender drogas para um sujeito em uma festa esquisita, e descobrem que o cara guarda algo muito estranho dentro de si. Esse poderia render um longa interessante. E outro episódio, digno da aclamada série "Black Mirror", Iris, aonde um telefone super inteligente resolve vingar um assassinato praticado por seu dono.
Também merecem destaque um episódio bem interessante, Pathos, aonde um coitado é praticamente obrigado a gastar suas economias em uma máquina de emoções virtuais em um mundo aonde sonhar é proibido e caso ele não consiga pagar a quantia exigida seus sentidos são desligados, até ele ter a sonda que lhe alimenta retirada.
O visual é bacana, o ritmo é frenético e merecia ser melhor situado, pois fica subentendido se tratar de um mundo pós apocalíptico e baseado em trabalho similar a escravidão, porém não esclarece em que condições se encontra o restante da humanidade. Outro que podia dar um longa interessante.
Outros episódios bizarros mostram um homem que criou um computador que une chips e carne, e que realiza até necessidades fisiológicas, e em outro uma dupla de homens tenta gerar uma filha mulher em um mundo aonde humanos parecem estar sendo substituídos por seres artificiais.
Os demais passam batidos.
Na verdade, são curtas produzidos em épocas diferentes, um deles tem 10 anos, que alguém teve a idéia de juntar num longa amarrando com a trama sem sentido do astronauta que só serve para interligar os filmetes.

domingo, 23 de abril de 2017

FROM A HOUSE ON WILLOW STREET

(FROM A HOUSE ON WILLOW STREET)
África do Sul - 2016
Dir.: Alastair Orr


Filme sul africano sobre o sequestro de uma menina rica, que no fundo é também uma história de vingança, mas que não é importante pra trama.
Quando os sequestradores a levam para o cativeiro, coisas estranhas, como visões, começam a acontecer e os sequestradores não conseguem contato com a família.
Eles retornam à casa de onde tiraram a moça, que fica no endereço do título, e descobrem que seus pais e dois padres foram barbaramente assassinados, e que a moça esconde algo dentro de si.
Não é nenhuma maravilha, mas é interessante e bem feitinho, embora se valha de alguns sustos fáceis.

sábado, 15 de abril de 2017

A CAVERNA

(CAVE)
Noruega - 2016
Dir.: Henrik Martin Dahlsbakken


Mais drama que terror.
Casal e mais uma migo decidem explorar algumas cavernas em algum lugar isolado da Noruega.
O amigo eles não viam há um tempo e nem sabiam que o cara também estava interessado na garota e é isso que vai colocar a vida deles em risco, além do ambiente naturalmente arriscado aonde se encontram.
Muito fraco, ainda apela  praqueles sustos fáceis. De bom, a fotografia e a ambientação do lugar.