sábado, 27 de maio de 2017

SICCÎN

(SICCÎN)
Turquia - 2014
Dir.: Alper Mestçi


Mais um exemplo legal do terror turco.
Mulher faz uma macumba muçulmana para matar a família do amante.
O ebó inclui escrever ofensas ao Corão na perna de um defunto fresco, mas alguma coisa pode ter dado errado pois ela também parece sofrer as consequências do ato.
Tem aquela certa histeria do terror da Turquia e também a tradicional recorrência à lendas e criaturas do folclore muçulmano (no terror turco não há psicopatas, ET's e outras figuras habituais no terror ocidental, ou fantasmas, como o oriental), mas ainda assim é criativo, num certo reciclar de conceitos de seu cinema fantástico.
O diretor é responsável pelo muito interessante "Musallat".

domingo, 21 de maio de 2017

DARKEST DAY


(DARKEST DAY)
Inglaterra - 2015
Dir.: Dan Rickard


Esse aqui devia ser processado por plágio. Vejamos:
Homem acorda numa praia e descobre que a humanidade, ou pelo menos Londres, foi tomada por um vírus que deixa todos enfurecidos e atacando até a morte os não infectados ("Extermínio" e "Walking Dead" começam assim).
Aí ele encontra um grupo e se trancam numa casa, até decidirem ir para a casa no campo de um parente de um deles ("Extermínio" de novo), mas o sujeito é caçado pelo exército sem saber porque (o também inglês "Retreat" tem temática parecida) e no caminho eles têm que enfrentar os infectados, inclusive usando uma espada...
Totalmente descartável,

domingo, 14 de maio de 2017

ILHA DOS MORTOS

(ISLE OF THE DEAD)
EUA - 2016
Dir.: Nick Leon


Filme de zumbis que é a cara da ASYLUM.
Grupo de militares chega a uma ilha deserta no pacífico para combater uma praga de zumbis que se propagou a partir de uma experiência fracassada com armas químicas realizadas por um cientista doidão.
Pra complicar, ainda tem uns zumbis extra classe, que pensam e são mais fortes que a média.
Como nos filmes do gênero, é tudo muito rápido e explicadinho. Tem uma zumbi cuja maquiagem faria feio no programa Face Off, zumbis de olhos brancos e uma certa referência - parece mais uma refilmagem meio mal disfarçada - do clássico "Day Of The Dead", de George Romero, já que o tal cientista consegue controlar os mortos vivos, colocando-os a seus serviços.

domingo, 7 de maio de 2017

TRANSFER

(TRANSFER)
Alemanha - 2010
Dir.: Damir Lukacevic


Mistura de drama, drama existencial e crítica social embalados em uma premissa de ficção científica.
Casal de velhos "compra" um casal mais jovem para poder viver por três meses nos corpos desses, que teriam apenas 4 horas, nos momentos de sono dos coroas, para poderem viver suas vidas - esse casal não se conhece anteriormente.
Tudo corre bem, e os 2 velhinhos tem a oportunidade de reviverem tudo o que ficou para trás com a velhice, com um detalhe: eles agora são negros, o que causa estranheza a seus amigos.
Aí vem a parte drama do filme: o casal de negros vem de áreas miseráveis da África, e tinham como objetivo usar a grana recebida para ajudar suas famílias; agora eles são jovens em meio a velhos; são ricos em uma sociedade que ainda vê negros ricos com certa estranheza e desconfiança; e seus verdadeiros "eus" não estão totalmente adormecidos dentro de seus corpos comandados pela consciência dos outros 2.
Pra complicar, o ser humano é engenhoso e as 4 consciências logo conseguem um meio de interagir entre si, questionando a validade de tudo aquilo.
O filme ganhou um remake by USA: "Self/Less", em 2015.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

GALÁXIA DOS HORRORES

(GALAXY OF HORRORS)
Canadá - 2017
Dir.: Dennis Cabella / Javier Chillon / Todd Cobery / Andrew Desmond / Benni Diez / Marcello Ercole / Richard Karpalla / Justin MacConnell / Antonio Padovan / Fabio Prati / Ethan Shaftel / Marinko Spahic


Terror e sci-fi em episódios.
Um astronauta é acordado de seu sono criogênico por uma falha na nave aonde está, e obrigado a assistir diversos filmes de terror e ficção, enquanto os sistemas que o mantém vivo vão entrando em colapso.
Como em todo filme do gênero, o resultado é mediano embora aqui todos os episódios sejam bem produzidos.
Os melhores são o último, Kingz, aonde uma dupla vai vender drogas para um sujeito em uma festa esquisita, e descobrem que o cara guarda algo muito estranho dentro de si. Esse poderia render um longa interessante. E outro episódio, digno da aclamada série "Black Mirror", Iris, aonde um telefone super inteligente resolve vingar um assassinato praticado por seu dono.
Também merecem destaque um episódio bem interessante, Pathos, aonde um coitado é praticamente obrigado a gastar suas economias em uma máquina de emoções virtuais em um mundo aonde sonhar é proibido e caso ele não consiga pagar a quantia exigida seus sentidos são desligados, até ele ter a sonda que lhe alimenta retirada.
O visual é bacana, o ritmo é frenético e merecia ser melhor situado, pois fica subentendido se tratar de um mundo pós apocalíptico e baseado em trabalho similar a escravidão, porém não esclarece em que condições se encontra o restante da humanidade. Outro que podia dar um longa interessante.
Outros episódios bizarros mostram um homem que criou um computador que une chips e carne, e que realiza até necessidades fisiológicas, e em outro uma dupla de homens tenta gerar uma filha mulher em um mundo aonde humanos parecem estar sendo substituídos por seres artificiais.
Os demais passam batidos.
Na verdade, são curtas produzidos em épocas diferentes, um deles tem 10 anos, que alguém teve a idéia de juntar num longa amarrando com a trama sem sentido do astronauta que só serve para interligar os filmetes.

domingo, 23 de abril de 2017

FROM A HOUSE ON WILLOW STREET

(FROM A HOUSE ON WILLOW STREET)
África do Sul - 2016
Dir.: Alastair Orr


Filme sul africano sobre o sequestro de uma menina rica, que no fundo é também uma história de vingança, mas que não é importante pra trama.
Quando os sequestradores a levam para o cativeiro, coisas estranhas, como visões, começam a acontecer e os sequestradores não conseguem contato com a família.
Eles retornam à casa de onde tiraram a moça, que fica no endereço do título, e descobrem que seus pais e dois padres foram barbaramente assassinados, e que a moça esconde algo dentro de si.
Não é nenhuma maravilha, mas é interessante e bem feitinho, embora se valha de alguns sustos fáceis.

sábado, 15 de abril de 2017

A CAVERNA

(CAVE)
Noruega - 2016
Dir.: Henrik Martin Dahlsbakken


Mais drama que terror.
Casal e mais uma migo decidem explorar algumas cavernas em algum lugar isolado da Noruega.
O amigo eles não viam há um tempo e nem sabiam que o cara também estava interessado na garota e é isso que vai colocar a vida deles em risco, além do ambiente naturalmente arriscado aonde se encontram.
Muito fraco, ainda apela  praqueles sustos fáceis. De bom, a fotografia e a ambientação do lugar.

domingo, 9 de abril de 2017

FROM THE DARK

(FROM THE DARK)
Irlanda - 2014
Dir.: Conor McMahon


Casalzinho viajando pela área rural e deserta da Irlanda topa com uma criatura ancestral de maus bofes, que foi casualmente libertada de sua tumba por um velhinho, e que só ataca na escuridão.
Falta alguma coisa pra ser um filme razoável. Talvez ser mais curto, pois é o tipo de filme que ficaria bem naquelas antologias que contam 2 ou 3 histórias curtas.
De legal, a ambientação, a completa e deliberada falta de informação sobre o que é ou a origem do ser misterioso (fosse uma produção americana, certamente haveria uma personagem com ligações psíquicas que explicaria origem e objetivos do ser), e a caracterização do bicho, que remete diretamente ao vampiro de "Nosferatu", o clássico de 1922 de F. W. Murnau, embora nunca fique claro se é realmente um vampiro.

domingo, 2 de abril de 2017

RAZE

(RAZE)
EUA - 2013
Dir.: Josh C. Waller


Mulheres são sequestradas e obrigadas a se estapearem até a morte, em troca de uma promessa de liberdade para a vencedora.
É o de sempre: gente que acorda em algum lugar, sem saber como foi parar lá.
Esse pelo menos é um pouco melhor, e a protagonista acaba sendo um destaque pela sua valentia dentro da trama que lembra os explotations do passado. Deve agradar a galera mais misógina, que curte ver uma mulher levando uns catiripapos.

domingo, 26 de março de 2017

HOWL

(HOWL)
Inglaterra - 2015
Dir.: Paul Hyet


Eficiente filme de lobisomem, que não inventa a roda mas dá pra passar o tempo, enquanto se tenta descobrir qual personagem clichê vai morrer na sequência.
Trem noturno quase vazio enguiça numa região deserta e sem sinal de celular, claro (o lugar já era motivo de lendas sobre mortes misteriosas). Os passageiros tentam seguir a pé, quando descobrem que tem alguma coisa escondida na mata que rodeia os trilhos. Aí, já era. Resta voltar pro trem e tentar sobreviver ao ataque do bicho, que nem é dos mais bonitos que o cinema já criou, diga-se de passagem.
Também contradiz um pouco o habitual, mostrando que lobisomem não ataca só à noite,

domingo, 19 de março de 2017

PICADA

(BITE)
Canadá - 2015
Dir.: Chad Archibald


"A Mosca".
Três amigas viajam para a Costa Rica e uma delas é picada por um inseto, ao mergulhar em um rio.
De volta pra casa, ela começa e apresentar sinais de alguma doença, que provoca furúnculos e depois um processo de degeneração, com direito a algumas coisas vistas no filme de David Cronenberg, guardadas as devidas proporções de investimento, pretensões, etc.
Esse se encaixa em dois gêneros: o filme de nojeira, e o filme da mutação (que sempre andam lado a lado), já que a personagem vai mudando ao longo da exibição.
Dá pra notar que a historinha é mais velha que andar pra frente né?
No final o expectador descobre que a origem da doença é diferente do que se imagina, e ainda assim não apresenta nenhuma novidade, porque a gente já viu coisa semelhante.
Afinal, de onde saiu toda a baba que cobria o apartamento da protagonista e que escorria por paredes e lambuzava tudo, quando ela acorda na banheira?

domingo, 12 de março de 2017

ATROZ

(ATROZ)
México - 2015
Dir.: Lex Ortega


Policial prende 2 sujeitos em flagrante por atropelamento e no carro deles descobre uma fita de vídeo que esconde um bárbaro assassinato de um travesti.
Usando métodos típicos de países como Brasil e México, ele descobre o esconderijo da dupla e outras fitas de vídeo, e mais crimes igualmente bárbaros.
Filme muito mimoso, em um formato interessante aonde parte é filmado em primeira pessoa, no caso, o ponto de vista dos assassinos.
Parafilia, sadismo, estupro de filho pelo pai (com ajuda da mãe), incesto, homofobia, misoginia, suicídio, tortura, etc. Ou seja, um filme violento para estômagos muito fortes.
Parente direto dos filmes de Ruggero Deodato e do famigerado "A Serbian Film".
O diretor é responsável por um dos segmentos de "México Bárbaro", em que falava de tráfico de órgãos, violência contra crianças e também mergulhava no gore.
Ah, o filme ainda tem uma cena aonde os genitais de um homem são cortados a sangue frio e costurados na vagina de uma mulher, que teve os seios arrancados e costurados no peito do cara.
Muito fofo.

domingo, 5 de março de 2017

SHELLEY

(SHELLEY)
Dinamarca / Suécia - 2016
Dir.: Ali Abbasi


Casal convida uma imigrante para viver com eles, com o objetivo de engravidá-la e depois ficar com a criança, já que a mulher não pode engravidar.
A casa não tem luz elétrica e apenas um telefone fixo, que ela pode usar para ligar para a família. O casal também tem uma espécie de guia espiritual que acompanha a gravidez.
Só que a grávida começa a dar sinais de loucura, ou de estar atormentada por alguma coisa de outro mundo.
Terror que bebe da fonte de "O Bebê de Rosemary", tocado em um ritmo sombrio, com poucos diálogos e explicações.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

A RAÇA HUMANA

(THE HUMAN RACE)
EUA - 2013
Dir.: Paul Hough


80 pessoas são raptadas e levadas para uma espécie de condomínio aonde tem que ficar correndo como idiotas, e respeitando regras como: não pisar na grama e não ser ultrapassado duas vezes, sob pena de ter suas cabeças explodidas.
Como o grupo é eclético - cegos, deficientes, adolescentes, velhos - muitas cabeças explodem e outros se matam brigando para não serem ultrapassados.
Isso aqui é muito ruim: tem uma trama vista inúmeras vezes em várias versões sobre pessoas que acordam em um lugar sem saber onde, porque ou como foram parar ali, tendo que lutar e matar para sobreviver por um motivo que só saberão no final da bomba. Ou melhor, do filme.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

DER NACHTMARH

(DER NACHTMARH)
Alemanha - 2015
Dir.: Achim Bornhak


Mocinha vai à uma festa com amigos, toma uma bala e vê alguma coisa escondida no mato, quando vai fazer o número 1.
Ao chegar em casa, ela vê a coisa de novo, e assim vai, com seus pais desconfiando de um surto psiquiátrico.
Até que se descobre que realmente existe uma criatura esquisita vivendo na casa, em uma espécie de simbiose com sua anfitriã, que sente as agressões que a coisa sofre.
Meio bizarro e esteticamente muito interessante, é um produto bem típico do terror alemão, um dos mais estranhos que existe, ao lado dos russos.