quarta-feira, 9 de junho de 2010

JUNK

(JUNK: SHIRYÔ-GARI)
Japão - 2000
Dir.: Atsushi Muroga


Terror japa sobre zumbis, algo incomum no cinema de lá.
Equipe do exército americano faz experiências com reanimação de cadáveres, mas algo sai do controle e os mortos vivos tomam conta da fábrica desativada aonde a experiência era realizada secretamente.
Sem alternativa, o exército americano apela para o cientista japonês que abandonou o projeto, e decidem mandar o lugar pelos ares. Só que algo dá errado, e eles precisam entrar na fábrica para acionar o mecanismo de destruição manualmente.
Paralelamente a isso, quatro ladrões que acabaram de assaltar uma joalheria marcam na mesma fábrica, que pensavam desativada, com a yakuza para vender o produto do roubo.
Óbvio que logo ladrões e mafiosos estarão às voltas com zumbis, até a chegada do exército.
Agitadíssima produção com visível influência dos filmes de George Romero: zumbis lentos, inclusive com alguns mortos-vivos com a cara pintada de azul ou cinza. A maquiagem lembra muito a usada no fim dos anos 70
Não faz feio frente as produções ocidentais, mas também não apresenta muita coisa de novidade.
De diferente tem um zumbi com QI acima da média, que sabe-se lá por que fica com os cabelos prateados de repente. Coisas do cinema japonês...
Ah sim, tem muito gore, e uma cena em que uma zumbi morre que é muito parecida com a morte da personagem de Dary Hanna em "Blade Runner".

Nenhum comentário:

Postar um comentário