domingo, 13 de junho de 2010

RASEN

(RINGU SPIRAL)
Japão - 1998
Dir.: Jôji Lida


Essa aqui é a continuação de "Ringu" que foi rejeitada pelos produtores, e é um verdadeiro samba do criolo doido.
O filme começa com a autópsia de Ryuji Takayama, por um amigo seu, Ando, que assim como Ryuji estudou matemática antes da medicina. Aqui tem um erro: o cadáver não apresenta a expressão de horror com que morriam as vítimas de Sadako, mas apresenta uma ótima cena, aonde o corpo eviscerado se levanta e conversa com Ando.
Durante a autópsia, Ando localiza um pedaço de papel no estômago do morto com alguns números, que ele deduz ser alguma mensagem de Ryuji para ele, pois como tinha o dom de prever o futuro, Ryuji já esperava por este "encontro", além de ambos se desafiarem com enigmas matemáticos.
Entram em cena então Mai, assistente de Ryuji e que tem os mesmos poderes deste, que se envolve com Ando, atormentado pela morte do filho mas incapaz de se matar; e Yoshino, repórter que trabalhava com Reiko (que nem dá as caras por aqui, assim como o filho).
Yoshino tem o diário de Reiko e misteriosamente se contamina sem ver o vídeo. Sua autópsia e mais a de Ryuji revelam a presença de um vírus causador de um tumor na garganta, além de um vírus desconhecido. Sabendo do vídeo, Ando encontra uma forma de se matar e livrar o mundo da maldição.
Mas Sadako é esperta, e entra em cena bem safada e sem esconder a cara com seus longos cabelos, como no filme anterior, e seduz Ando e Ryuji.
A partir daí a coisa fica meio doida, com Sadako conseguindo voltar a vida através de Mai, Ryuji assumindo ares de vilão, e Ando indo pro poço e tendo a possibilidade de ter o filho de volta.
Tirando o fato da maldição que parece perseguir quem entra em contato com a fita, esse nada tem a ver com a continuação oficial. Sadako aqui se transforma em uma espécie de vírus, que se espalha através dos olhos... e seu objetivo é espalhar pela humanidade o medo que sentiu presa no poço. Também muda o foco do terror pra algo de fundo mais científico.
É, é uma doidera mas é curioso e não merecia ter sido banido, até por ser, segundo os conhecedores da mitologia Ringu, fiel ao livro que deu origem a série.
Vale a vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário